28 de dezembro de 2020 12:06

Segunda etapa da campanha contra Febre Aftosa imuniza cerca de 93% animais em Sergipe


Emdagro informa como criadores de animais que não fizeram vacinação podem regularizar a situação

Após o encerramento do período de declaração da vacinação contra a Febre Aftosa, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) contabiliza resultados exitosos de imunizações realizadas durante a segunda etapa da campanha, promovida em novembro. A empresa registrou 408.578 cabeças de gado vacinadas, representando cerca de 93% do rebanho imunizado, entre bovivos e bubalinos, com faixa etária de até 24 meses. A cobertura vacinal aconteceu em duas etapas.

A primeira etapa foi realizada em junho, com vacinação de 96,1% do rebanho de todas as idades. Inicialmente programada para maio, o período da primeira etapa teve que ser alterado por conta da pandemia. As duas etapas contaram com prorrogação em seus prazos finais para que os criadores de animais de Sergipe pudessem realizar a declaração de vacinação. Após o lançamento das declarações no sistema do Siapec3, a Emdagro constatou que, na segunda etapa, foram imunizados 93% dos bovinos e bubalinos com idade de 24 meses.

“Os produtores de Sergipe estão de parabéns pelo envolvimento na campanha de vacinação contra a Febre Aftosa. Isso demonstra o grau de entendimento e importância que eles dão à sanidade do rebanho no estado, motivo pelo qual mantêm Sergipe com o status de área livre da doença há 25 anos. Outro grupo que também merece o nosso reconhecimento são os técnicos da Emdagro, que não mediram esforços para auxiliar os criadores nessas duas etapas, mesmo em período crítico de pandemia”, destacou a diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade Nascimento.

A diretora destaca, ainda, que se o estado continuar com o alto índice vacinal, deverá ser retirada a obrigatoriedade da vacina. “Mantendo esse índice de vacinação nos próximos anos, Sergipe vai se credenciando para ter seu status de área livre da doença sem vacinação”, ressaltou Aparecida.

Regularização e Penalidades

Os criadores que não vacinaram e não fizeram a declaração de vacinação junto à Emdagro sofrerão algumas penalidades, em multas. Para regularizar a situação, o criador deve procurar um escritório da Emdagro e resolver a inadimplência, pagando a multa de R$ 3,11 por cabeça para autorização da compra da vacina, e mais R$ 3,11 por cabeça, para regularização da situação. Quem comprou a vacina no prazo, mas não procedeu com a declaração de vacinação junto à Emdagro, deverá pagar apenas R$ 3,11 por cabeça para regularização.

“Se, mesmo assim, o criador não se regularizar, ele ficará impossibilitado de comercializar seu rebanho, por não conseguir emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) – que é emitida pela Emdagro – como também não conseguirá realizar empréstimos bancários que dependam de algum documento que comprove o status sanitário do seu rebanho”, alertou a diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade.

Last Updated on 28 de dezembro de 2020 by carlos.mariz