2 de março de 2020 11:11

Projeto transforma Sergipe em Estado piloto no combate à desertificação no Semiárido


 Fortalecer a estrutura de governança no combate à desertificação e estruturar ações para a recuperação de áreas degradadas em comunidades no Alto Sertão de Sergipe, essa foi pauta da reunião, ocorrida na última sexta (14), entre o presidente da Emdagro, Jefferson Feitoza de Carvalho e o Diretor do Departamento de Economia Ambiental e Acordos Internacionais do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Adriano Santiago de Oliveira, e a gerente do Projeto pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Paula Silveira, sobre o projeto “Manejo do Uso Sustentável de Terras do Semiárido do Nordeste Brasileiro”.

 

O projeto faz de Sergipe um Estado piloto para a multiplicação das ações para outros Estados do Nordeste ao focar em três eixos integrados: ambiental, produtivo e social. O eixo ambiental traz ações de proteção de nascentes e barragem de base zero e cordeamento de pedras para evitar a erosão do solo. No eixo produtivo, têm-se o foco no manejo sustentável do solo na produção agropecuária e, por último, no eixo social, o projeto busca privilegiar o saneamento básico, a reserva de água e construção de fogões ecológicos.

 

Segundo o Diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Emdagro, Antônio Reis, o Diretor do MMA e a Gerente do PNUD vieram para a Emdagro solicitar a participação da ATER pública para alcance das metas. “O intuito da reunião foi envolver a Emdagro de forma mais efetiva, ampliando as comunidades assistidas, com ações de ATER para reverter a degradação do solo e a desertificação, através de atividades sustentáveis de produção que evitem a erosão e esgotamento de nutrientes do solo e integridade do sistema hidrológico”, detalhou.

 

Antônio Reis destacou ainda serem as ações do projeto importante para a produção sustentável no Sertão e, principalmente, a disseminação de tecnologias pelos extensionistas para um maior número de comunidades do Alto Sertão, incorporando as ações aos projetos já em andamento na Emdagro para efeito multiplicativo que serão custeados com recursos do próprio projeto.

 

Como encaminhamento da reunião, a Emdagro fará um levantamento das práticas já existentes no semiárido capazes de reduzirem a desertificação, bem como, indicar ações de ATER que possam contribuir para os resultados do Projeto, cujos resultados serão apresentados em reunião programada para os dias 10 e 11 de março 2020, quando serão discutidas as ações do Projeto 2020/2021.

 

Participaram também da reunião o Diretor de Ações Fundiárias, Esmeraldo Leal, a Coordenadora de Assistência Técnica e Extensão Rural, Izildinha Dantas e a equipe de assessores Elizabeth Campos, Eugênia Ramos e Eduardo Barreto.

Last Updated on 2 de março de 2020 by carlos.mariz