20 de outubro de 2020 12:35

Presidente da Emdagro participa de Sessão da Alese com secretário de Estado da Agricultura


Nesta quinta-feira, 1º de outubro, o presidente da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe – Emdagro, Jefferson Feitoza de Carvalho, participou, juntamente com o presidente da Cohidro, Paulo Sobral, da sessão extraordinária remota da Assembleia Legislativa de Sergipe, em que o secretário de Estado da Agricultura, André Luiz Bomfim, apresentou um panorama da conjuntura agropecuária de Sergipe, dos impactos da pandemia no setor e das políticas públicas desenvolvidas pelo Governo de Sergipe em apoio aos produtores rurais. Em sua fala, o secretário destacou três ações principais de cada uma das suas empresas vinculadas, destacando como incentivos realizados através da Emdagro, a Assistência Técnica e Extensão Rural – ATER, as ações de Defesa Animal e Vegetal, e a Regularização Fundiária.

 

“É preciso destacarmos a importância do trabalho realizado pela Emdagro no campo, junto aos agricultores. A Regularização Fundiária, por exemplo, consiste em dar títulos de terra a famílias que tem apenas a posse da terra, propiciando a valorização da sua propriedade e possibilitando tanto o acesso a crédito quanto à assistência técnica rural. Temos, para este ano, a previsão de entrega de cerca de 1.000 novos títulos, em dialogo também com o Incra. Já a Assistência Técnica e Extensão Rural prestada pela Emdagro se reinventou na pandemia, para continuar atendendo o produtor, na ponta, porque o campo não parou. Quero parabenizar a Emdagro por todos os esforços empreendidos para continuar a desempenhar esse trabalho fundamental para o produtor, criando inclusive ferramentas virtuais. A Defesa Animal e Vegetal é outro foco importante de ação da Emdagro. Graças a esse trabalho, há mais de 20 anos, Sergipe é área livre da febre aftosa, e a gente espera que em breve estejamos livre sem vacinação. Temos essa meta para ser trabalhada. É algo essencial para as exportações do país como um todo, para alcançar novos mercados. Destacamos, ainda, o trabalho de sucesso realizado, que evitou que a peste suína clássica chegasse aqui. Beneficiamos, com isso, todo o país”, pontuou André Bomfim.

Após a explanação do Secretário, os deputados Georgeo Passos e Zezinho Guimarães, autor da propositura, fizeram perguntas, sendo algumas delas relacionadas ao trabalho desenvolvido pela Emdagro. Respondendo a Zezinho Guimarães sobre a emissão do Guia de Trânsito Animal – GTA, o presidente Jefferson Feitoza, destacou que o Sistemade Integração Agropecuária – Siapec está sendo atualizado, com mais funcionalidades, atendendo ao conceito de descentralização do atendimento ao público, transferindo para os Portais de Serviços e Corporativos do sistema todos os serviços básicos, além de garantir a integração com a SEFAZ para geração dos documentos de arrecadação estadual. “Com isso, estamos em fase de adaptação, tanto dos técnicos quanto dos produtores e profissionais de todo o estado que dele fazem uso. Toda nossa equipe de TI está atuando diuturnamente junto à empresa contratada para a efetividade dessa implantação”, disse Jefferson.

Sobre a Assistência Técnica e Extensão Rural, o presidente da Emdagro, Jefferson Feitoza destacou a importância da atividade e do esforço realizado pela Emdagro no sentido de prestar atendimento a 30 mil agricultores sergipanos em todos os municípios. “Temos nossa equipe trabalhando diretamente com o agricultor. Tenho 32 anos de Emdagro. Sou extensionista por formação e, hoje, gestor de uma empresa que faz assistência técnica, defesa vegetal e animal, pesquisa, fomento. Trabalhamos com 30 mil agricultores, sendo que há 90 mil no estado. Ainda assim, somos o maior órgão de extensão rural de Sergipe. O Senar, por exemplo, quando atende o máximo, atende 600 produtores. Então sempre haverá uma defasagem na Ater, por conta da escassez de recursos. Destes 90 mil, cerca de 90% são familiares. São pessoas que por vezes têm dificuldade com a gestão do seu negócio. O agronegócio é bom de exportar, mas quem bota o produto na mesa é o agricultor familiar, o médio produtor. Então precisamos discutir mais aprofundadamente sobre o setor agrícola e me coloco humildemente à disposição dessa casa para isso. Temos avanços, mas é preciso haver mais recursos. O governo Federal cria políticas, mas não cria o recurso. Quando o estado é muito bom pra trazer dinheiro, consegue 3% a 5%. Então acontece que o governo Federal, quando repassa, é muito pouco. Agro é tudo isso que dizem, mas para desenvolver é preciso que tenha dinheiro”, defendeu o presidente da Emdagro, Jefferson Feitoza.

 

 

 

 

 

Fotos: Jadilson Simões/Alese

Last Updated on 20 de outubro de 2020 by carlos.mariz