1 de outubro de 2020 09:34

JAPOATÃ | Escola Agrícola de Ladeirinhas reabrirá após reforma com recursos com Projeto Dom Távora


Emdagro viabilizou plano de negócios da Escola, que beneficia filhos de agricultores da comunidade

 

Recursos superiores a 240 mil reais do Projeto Dom Távora foram aplicados no Plano de Negócios da Associação Mantenedora da Escola Família Agrícola de Ladeirinhas, em Japoatã – Baixo São Francisco, contribuindo para o fortalecimento das ações da entidade e da cadeia produtiva local. A escola agrícola, que esteve prestes a fechar as portas por dificuldades financeiras, retomará suas atividades após a reestruturação das instalações físicas, e a aquisição de novos equipamentos e insumos. O Dom Távora é realizado pelo Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e da sua vinculada, Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), em parceria com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida).

 

O projeto da Escola foi elaborado pela equipe do Escritório Local da Emdagro em Japoatã. “Sempre tivemos uma atenção especial aqui na comunidade Ladeirinhas, principalmente com a Escola Agrícola, porque conhecemos sua história e a força de vontade de muitos abnegados que, mesmo com tantas dificuldades, não deixaram a ‘peteca’ cair. Por isso, não poderíamos deixar de contribuir com a elaboração desse projeto para o Dom Távora, que viabilizou a reforma e ampliação do aviário e da pocilga; a compra de pintos e matrizes, e reprodutores de suínos, além de ração para a alimentação de um ano desses animais; a reforma completa do sistema de irrigação e do reservatório de água, com aquisição de bombas para todo o sistema; a reforma do galpão para armazenamento de material; aquisição de máquina forrageira e betoneira; além da aquisição de sementes de hortifruticultura”, detalhou o Chefe do escritório da Emdagro, João Serafim Pinto.

Para o diretor da Escola Agrícola, Carlos Wagner dos Santos, a entidade tem, hoje, um divisor de águas, que é o Projeto Dom Távora. “A Emdagro tem um papel fundamental nessa transformação, porque, antes do projeto, todas as áreas se encontravam desativadas. Muitas delas estavam completamente deterioradas e outras necessitavam de muitos reparos e investimentos que não tínhamos. Agora, após o Dom Távora, a gente conseguiu reformar as áreas produtivas, comprar equipamentos, alguns animais, sementes e materiais de irrigação. E quando houver a retomada das aulas presenciais, teremos 46 estudantes – filhos de agricultores da comunidade – beneficiados diretamente com toda essa estrutura, que facilitará seus estudos práticos e a assimilação de todo o conhecimento que geramos aqui. Isso irá auxiliá-los para toda a vida, inclusive, contribuindo com o desenvolvimento agrícola de suas comunidades”, frisou o diretor.

 

Em visita ao local, o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Emdagro, Antônio Reis, demonstrou satisfação pelo sucesso da parceria entre a empresa e a escola. “Esse é o nosso papel, o de criar condições que resultem no fortalecimento da agricultura em nosso estado através dessas parcerias de sucesso. E tudo o quanto vi aqui me deixou bastante feliz. Ver os recursos bem aplicados só demonstra o compromisso da população local e dos gestores com a coisa pública”, reforçou Antônio Reis. O acompanharam na visita os chefes dos escritórios regional e local da Emdagro em Propriá, Paulo Roberto e Edmundo Gualberto Batista; do escritório de Japaratuba, Francisco Gross Araújo Filho; do escritório de Neópolis, Esdras de Oliveira; e o técnico Isaque Santos de Jesus.

 

 

 

 

Last Updated on 1 de outubro de 2020 by carlos.mariz