20 de maio de 2021 09:02

Fórum Sergipano discute a retirada da vacina contra a Febre Aftosa


Em evento online, Emdagro promove debate sobre cuidados e benefícios da retirada da vacinação

 

A Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emagro), em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e abastecimento (Mapa), realizará, no próximo dia 18 de maio, o 3º Fórum Sergipano Sobre a Febre Aftosa: Cuidados e benefícios da retirada da vacinação contra a Febre Aftosa. Por conta da pandemia de Covid-19, o evento acontecerá virtualmente, das 10h às 12h, e será transmitido online, através do Canal da Emdagro no YouTube. O Fórum é destinado a toda a sociedade, em especial, profissionais, criadores e estudantes da área de ciências agronômicas.

 

A programação terá seu conteúdo divido em três palestras: A palestra 1 trará o tema: “A importância da rápida notificação de Febre Aftosa”, e terá como palestrante o Chefe da Divisão de Febre Aftosa em Brasília/MAPA, Diego Viali dos Santos. A segunda palestra abordará os “Desafios e benefícios da retirada da vacinação contra Febre Aftosa”, e traz como palestrantes o Médico Veterinário e Diretor-Geral da Indústria de Laticínios Natville, Flávio Dantas; e o Diretor Sócio-Proprietário do Frigoserrano Agroindustrial Ltda, Manoel Moacir Souza. Já na terceira e última palestra, os participantes conhecerão os “Aspectos Clínicos e Epidemiológicos da Febre Aftosa e outras doenças confundíveis com Febre Aftosa”, através da abordagem que será feita pelo professor da Universidade Federal de Sergipe, Edisio Oliveira.

 

Segundo a Diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade, o Fórum sobre a Febre Aftosa é o momento oportuno para se discutir as metas estabelecidas pelo MAPA para a retirada da obrigatoriedade da vacina contra a doença. “O Fórum tem como objetivo discutir as 43 metas estabelecidas pelo Ministério da Agricultura para a retirada da vacina, com previsão para acontecer em 2023. É importante essa discussão para que todos os envolvidos, seja o poder público ou o setor produtivo, tenham consciência do seu papel”, disse.

 

Exemplo disso é que, de acordo com ela, a retirada da obrigatoriedade da vacina fará a Emdagro intensificar ainda mais as fiscalizações nas barreiras fixas e móveis, bem como as vigilâncias em propriedades rurais. “Além dessas intensificações, o setor produtivo deverá ter a consciência de que toda a movimentação de animal deverá ser feita obedecendo as exigências legais, a exemplo da Guia de Trânsito Animal (GTA), e ficar atento para uma notificação eficaz em caso de suspeitas da doença em sua propriedade”, alertou a Diretora.

Last Updated on 20 de maio de 2021 by carlos.mariz