29 de setembro de 2021 11:46

Estado elabora diagnóstico sobre casas de farinha


Objetivo é apoiar a elaboração de políticas públicas voltadas para esse ramo de atividade


Mapear os principais aspectos que permeiam as atividades das casas de farinha, esse foi o objetivo da reunião, ocorrida no início da semana, em Aracaju, entre técnicos da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) para a elaboração de um diagnóstico on-line preciso sobre as formas de organização para a produção e comercialização, gestão e controle social, participação do gênero feminino nas atividades de produção e na organização social, seguridade social prestada aos trabalhadores e a utilização de equipamentos de proteção individual de trabalhadores das casas de farinha.

A execução do diagnóstico vai envolver 42 comunidades rurais de 18 municípios das 4 regiões do estado. Ao todo serão 47 casas de farinhas que fazem parte das áreas de atuação da Emdagro. “O diagnóstico rápido participativo (Drp) é uma ferramenta metodológica que terá como objetivo apoiar a elaboração de programas, projetos, planos e as diferentes políticas públicas que respondam as expectativas de trabalhadores rurais”, explicou a assessora do Programa de Organização e Desenvolvimento Social, Abeaci dos Santos.

O trabalho de organização do diagnóstico percorreu as fases de elaboração de questões norteadoras que compõem o documento, a seleção das casas de farinha a serem contempladas, a escolha da equipe com 18 técnicos, definição da metodologia de aplicação e, por último, discussão e legitimação do diagnóstico com previsão para concluir no final de novembro deste ano. “Após a aplicação, entraremos na fase de desdobramento do diagnóstico rápido participativo, com as fases de organização das informações coletadas, sistematização, restituição da sistematização para os trabalhadores rurais, elaboração de planos de ação e, ainda, construção de um artigo para publicação, considerando todas as fases e resultados do processo”, frisou Abeaci.

Para a assessora de Comunicação da Emdagro, Suzana Leite, é importante destacar que a forma de aplicação do diagnóstico será on-line, levando-se em consideração o contexto pandêmico. “Apresentamos o formulário do diagnóstico elaborado através da plataforma Google Forms, que elimina o uso de papel. De maneira automática, os resultados serão captados em tempo real, de forma on-line, e os técnicos poderão fazer uma análise mais precisa. Contudo, não será descartado a forma presencial, com assessoria das equipes técnicas durante a aplicação, para evitar problemas de falta de acesso à internet por parte dos trabalhadores das casas de farinha”.

Participaram da reunião as equipes técnicas da Emdagro das regiões de Nossa Senhora da Glória (Rita Selene Quixadá Bezerra, Luís Fernando  Piedade, Eliana Alves Rodrigues, Gilberto Luiz Araújo Santana, Adalmir Alves de Jesus e  José Hamilton Santana); da região de Propriá (Gildete Rozendo de Cerqueira, Josenildes Oliveira de Menezes e Izaque Santos de Jesus), da região de Lagarto (Dilma Maria dos Santos Tavares, Agenor Antônio do Nascimento e Maria da Conceição Góes Oliveira) e das técnicas do escritório central da empresa, Abeaci dos Santos e Tabita Evangelista Reis de Araújo (Assessoria do Programa de Organização e Desenvolvimento Social), Aryosvaldo Ribeiro Bomfim (Coordenadoria de Desenvolvimento Rural) e Maria Suzana Leite de Oliveira (Assessoria de Comunicação).

Last Updated on 29 de setembro de 2021 by carlos.mariz