14 de agosto de 2020 13:55

DOM HELDER: Pequena propriedade em Itabi prospera com o apoio de políticas públicas e acompanhamento da Emdagro


A diversificação de culturas agrícolas tem se mostrado um dos meios mais eficientes de manter a produção e a sustentabilidade de famílias de pequenos agricultores. Na propriedade do casal Raiane Silveira Santos (28 anos) e Mário Melo da Silva (33), localizada no Povoado Boa Hora, município de Itabi, a dinâmica de trabalho da pluralidade de cultivos, aliada à criatividade, tem dado um novo sentido à vida do casal, com o apoio essencial de políticas públicas diversas.

 

Com pouco mais de 11 tarefas, a propriedade de Raiane e Mário produz milho, feijão, palma, gliricídia, manga, banana, acerola e coco, além da criação de galinhas, para produção de ovos; bovinos de leite e suínos, estes últimos, adquiridos com recursos de fomento disponibilizados pelo Projeto Dom Hélder Câmara (PDHC); além de outras culturas que fazem a base econômica da família, e que vêm ampliando as chances de trabalho e renda. “Com esse apoio do Dom Helder e da Emdagro [Empresa de Desenvolvimento Agrícola de Sergipe], nós conseguimos fazer uma alimentação melhor, comprar material escolar para a nossa filha, comprar móveis para casa e, às vezes, até pagar uma consulta médica e outras coisas mais, tudo isso junto também com o nosso trabalho, pois, quem quer vencer tem que trabalhar”, ressaltou Raiane Silveira Santos.

 

Segundo afirma a agricultora, o Projeto Dom Helder Câmara trouxe, para a família, a oportunidade de concretizar um sonho que há muito tentava realizar. Com o fomento de R$ 2.400, a pequena família ampliou suas explorações, agora com a atividade de suínos, e adquiriu, inicialmente, quatro matrizes. “Antes, eu e meu marido construímos três pocilgas, mas não tínhamos condições de comprar os porcos porque as dificuldades no campo são muitas, mas, com as oportunidades geradas pelo projeto, hoje nossa propriedade é bastante produtiva e nos dá condições de comercializar leite, bacorinhos (suínos), ovos, frutas, verduras e aves, o que nos garante suporte financeiro para mantermos a segurança alimentar e nutricional de toda a nossa família”, revelou.

 

A metodologia participativa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) implantada pelo Projeto Dom Hélder, a partir da execução das equipes da Emdagro, faz toda diferença no desenvolvimento dos produtores rurais atendidos, pelo estabelecimento de um processo educativo a partir de um conteúdo pedagógico que permeia todas as etapas do projeto. “Nunca é demais reforçarmos que quando nós, extensionistas, estabelecemos uma relação afetiva e de compromisso de trabalho com os agricultores e, ainda, quando apoiamos suas iniciativas, podemos ter a certeza de que homens e mulheres do meio rural, são capazes de formar uma base sustentável de desenvolvimento no campo, a exemplo do jovem casal Raiane e Mário”, destacou o Técnico da Emdagro, Sérgio Carlson Gomes de Sá.

 

Sérgio destaca ser esta uma das muitas experiências positivas de Assistência Técnica Rural (Ater) como fruto das ações desenvolvidas pelo Projeto Dom Hélder Câmara (PDHC), desde de 2017, em Sergipe, sob a coordenação da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro). Além do Dom Helder Câmara, o casal ainda recebe o apoio de outras políticas públicas, como o Programa Garantia Safra, o Programa de Distribuição de Sementes, Mais Palmas para o Sertão, Programa de Mecanização Agrícola, Bolsa Família e Agroamigo.

Last Updated on 14 de agosto de 2020 by carlos.mariz