22 de outubro de 2021 11:17

Dia de campo sobre mecanização agrícola aborda manejo do uso sustentável do solo


O projeto visa a capacitação de 100 produtores, 60 tratoristas e técnicos de 8 municípios do semiárido sergipano


Responsável pelo aumento da produtividade, eficiência e qualidade do plantio, a mecanização agrícola tem proporcionado ao agricultor maior facilidade na hora do manejo e manutenção das lavouras. Com esse foco, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) vem promovendo, desde o mês de setembro, Dias de Campo sobre Mecanização Agrícola, utilizando técnicas de conservação de solo. As ações são fruto do Projeto BRA/14/G32 – Manejo do uso sustentável da terra no semiárido do Nordeste brasileiro – Sergipe, financiado com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF – sigla em inglês), que prevê a implementação de ações de reversão da degradação da terra (DT) no estado, replicáveis para a região do Semiárido nordestino.

Os eventos de capacitação vêm ocorrendo em várias propriedades de agricultores do alto sertão sergipano. Em uma delas, a do agricultor José Alves Santos, localizada no município de Poço Redondo, a 174 km distante da capital Aracaju, contou com a participação de 23 “treinandos” produtores, técnicos e tratoristas. Ao todo, o Projeto vai contemplar a realização de 7 capacitações de dois dias cada. Já foram realizados dois desses eventos e estão por vir mais 5 Dias de Campo, totalizando a capacitação de 100 produtores, 60 tratoristas e 20 técnicos nos municípios de Poço Redondo, Porto da Folha, Monte Alegre, N. S. da Glória, Gararu, Itabi e N.S. de Lourdes e Canindé.

“Será realizado, ainda, o preparo mecanizado de solo num total de 100 hectares utilizando práticas conservacionistas nas propriedades dos 100 produtores capacitados, com fornecimento de insumos (fertilizantes químicos e raquetes de palma) e o plantio de 50 hectares de palma da variedade orelha de elefante mexicana nas áreas preparadas, na perspectiva de mitigar os processos de erosão e de desertificação iniciados, incentivando, assim, a mudança de comportamento através da adoção das práticas sustentáveis, contribuindo para a conservação do solo e a sustentabilidade da região”, comentou a Assessora de Agroecologia da Emdagro, Elizabeth Denise Campos.

Ainda, segundo ela, as propriedades beneficiadas serão acompanhadas posteriormente pelos técnicos da Emdagro da região, a fim de avaliar os efeitos e impactos das práticas conservacionistas sobre a produção agrícola ao longo do tempo, bem como o nível de adoção e de replicação dessas práticas pelos produtores e tratoristas da região.

Para o agricultor José Roberto de Souza, que participou do Dia de Campo, o pequeno e médio produtor só tem a ganhar. “A gente só tem a ganhar com esse curso, porque além do conhecimento adquirido a gente já recebe a terra arada, cultivada com plantio da palma, tudo por conta da Emdagro. Para a gente só vai ter melhoras. Estou aprendendo muito sobre linha de nível e o terraço, isso é novo para a gente. Também estou aprendendo como represar a água no solo, dela não bater e escorrer, mas bater e segurar, que só será possível com a técnica do terraço”, afirmou.

Last Updated on 22 de outubro de 2021 by carlos.mariz