21 de setembro de 2021 12:13

Controle Agropecuário da Emdagro fiscalizou sanidade de animais na vaquejada de Lagarto


Ação teve o objetivo de evitar a propagação de doenças infectocontagiosas em equinos


Até o último domingo (29), aconteceu a 58ª Vaquejada do Parque Zezé Rocha, no município de Lagarto, região Centro Sul de Sergipe. Para garantir a sanidade dos equinos que participam do evento, fiscais agropecuários da Emdagro – Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe se revezaram ao longo da semana, começando na segunda-feira (23). Cerca de 800 animais de todas as regiões do país participaram da Vaquejada, devendo estar com exames que atestem a ausência de Anemia Infecciosa Equina (AIE) e da doença infectocontagiosa Mormo.

A médica veterinária Lucyla Flor é coordenadora de Controle Agropecuário da Emdagro e explica o objetivo da ação. “A Fiscalização Agropecuária fez o seu trabalho para impedir que os animais adentrassem ao local de forma irregular. Então, na chegada, recolhemos a Guia de Trânsito Animal (GTA’s). Uma vez desembarcados, os animais foram rigorosamente inspecionados, sendo conferida a resenha de cada um e a validade dos exames de AIE e Mormo, para garantir a sanidade dos envolvidos no evento”, ressaltou.

Na avaliação da responsável técnica da Vaquejada do Parque Zezé Rocha, a médica veterinária Jhully de Carvalho Sobral, o trabalho de parceria entre os organizadores, responsáveis técnicos e Fiscalização Agropecuária foi de bastante relevância para a segurança de todos. “A gente garante a segurança dos cavalos e dos próprios criadores, porque hoje cavalo é sinônimo de investimento. Então, a gente tem feito de tudo pra trabalhar em conjunto com a Fiscalização Agropecuária para mantermos o evento sob controle”, frisou a organizadora.

Para o vaqueiro Celso Vitório, do Rancho Juliana de Arapiraca, município de Alagoas, a presença da Fiscalização Agropecuária nos eventos gera mais tranquilidade aos participantes. “O benefício é para todos, proprietário de animais e donos de parques, porque a presença da Emdagro na entrada dos parques deixa a gente mais tranquilo, já que todos os participantes têm que mostrar que seus animais estão todos os exames todos em dias. Só assim, fazendo exames a cada 60 dias, evitaremos a entrada de doenças como a Anemia e Mormo”, frisou o vaqueiro.

Exigências
“A exigência da GTA e dos exames negativos de AIE e Mormo é fundamental para atestar ausência de patologias que coloquem em risco o plantel de equídeos, além de facilitar a rastreabilidade em caso de focos numa propriedade. A presença da fiscalização é de extrema importância, principalmente num evento como esse, porque temos animais oriundos de vários estados e o risco de contágio de doenças infectocontagiosas sempre está presente”, explicou Lucyla, coordenadora de Controle Agropecuário da Emdagro.

A coordenadora reforça ainda que, em casos de inconsistências, seja documental ou de exames, os animais são retidos até que a situação seja regularizada. Caso contrário, o criador fica impedido de participar do evento e deverá retirar o animal do local, com possibilidade de pagamento de multa, a depender do motivo.

“Quando os atestados de AIE e Mormo estão vencidos, os animais são impedidos de entrar no espaço, e o proprietário deve contratar um veterinário para uma nova coleta do sangue e realização de novos exames, o que não pode ser realizado no local do evento sob o risco de, uma vez eles testando positivo, o parque ser completamente interditado”, detalhou a médica veterinária, explicando que atestados negativos têm validade de 60 dias e levam de um a três dias para ficarem prontos.

Eventos com animais
Para promover eventos com aglomeração de animais, como cavalgadas, vaquejadas, exposições, entre outros, os organizadores têm que dar entrada no pedido de liberação do local do evento à Emdagro, com antecedência mínima de 15 dias. Além de uma estrutura adequada, é necessário que tanto os organizadores quanto os criadores de animais que participarão dos eventos estejam cientes da importância da presença da Fiscalização Agropecuária no local, a fim de garantir a sanidade dos animais e evitar a propagação de doenças.

Last Updated on 21 de setembro de 2021 by carlos.mariz