1 de março de 2021 09:14

Agricultora assistida pela Emdagro em Pirambu se destaca na produção de amendoim orgânico


Produção saudável é vendida em feiras livres de Pirambu, Carmópolis, Japaratuba e Maruim

 

Poucos os alimentos são tão versáteis quanto o amendoim. Utilizado como petisco, ingrediente de tortas, doces e salgados dos mais variados, o amendoim é parte importante da culinária brasileira. De alto valor nutritivo, como vitaminas, fibras e minerais, o alimento é um excelente aliado para quem busca uma alimentação saudável, principalmente quando produzido de forma orgânica. Nesse tipo de produção, esbanja experiência a agricultora familiar Iraci dos Santos Sena, do Povoado Baixa Grande (Pirambu), assistida pela equipe de assistência técnica e extensão rural do escritório local da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) de Japaratuba.

 

A agricultora diz que sua vida mudou quando optou pela produção orgânica do amendoim, após passar por vários treinamentos na área de agroecologia ofertados pela empresa. “Tudo começou quando me casei, há mais de 20 anos. Meu marido é agricultor e, quando vim de Santos (SP) para Sergipe, me apaixonei por essa natureza. Passei, então, a trabalhar na lavoura, mas de forma convencional. Foi quando conheci os inúmeros benefícios de uma produção saudável, através dos vários treinamentos em agroecologia oferecidos pela Emdagro”, contou dona Iraci.

 

Hoje ela possui uma área de pouco mais de 4 tarefas, das quais destina a metade para a produção do amendoim orgânico. O produto é o carro chefe, na composição da renda de sua família. Tudo o que produz é comercializado nas feiras livres dos municípios de Pirambu, Carmópolis e Maruim. “Eu produzo tudo aqui na minha propriedade, com o apoio da minha família, e comercializo nas feiras de Pirambu, onde vendo uma média de 20 a 25 litros de amendoim orgânico; em Carmópolis, entre 50 e 60 litros; e em Maruim, de 20 a 30 litros”, detalhou a agricultora, que produz, além do amendoim, milho, melancia, abóbora, coco, mangaba e mandioca – todos as culturas no sistema agroecológico.

Para o Técnico do escritório local da Emdagro, em Japaratuba, Josenildes Meneses, que acompanha o trabalho de dona Iraci há mais de 20 anos, a agricultora sempre foi dedicada e receptiva às orientações da assistência técnica e extensão rural da empresa. “É muito gratificante trabalhar com Dona Iraci e sua família, pois, além de receberem bem nossas instruções e colocá-las em prática, eles também são multiplicadores, repassando o que aprendem para as agricultoras vizinhas”, frisou Josenildes. Ele conta que a agricultora recebeu treinamentos sobre preparo de solo, agroecologia, produtos orgânicos, associativismo e cooperativismo, além de ser beneficiária de políticas públicas como o Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), e participar da Organização de Controle Social (OCS).

 

Segundo o Técnico Agrícola da Emdagro, Izaque Santos de Jesus, os produtos cultivados pela agricultora possuem a ‘Declaração de Orgânico’, emitida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). “O Ministério é quem dá ao agricultor a declaração e a certificação de que está apto a comercializar sua produção na escala de produtos orgânicos. Dona Iraci, que estava na transição do convencional para o orgânico, já pode comercializar nesse sistema, dando a segurança ao consumidor de que seus produtos foram produzidos de forma orgânica, com qualidade e sem o uso de produtos químicos”, concluiu.

Last Updated on 1 de março de 2021 by carlos.mariz